Mapa da Exclusão: saiba quantas pessoas Bolsonaro abandonou em sua cidade

Com o fim do Bolsa Família e do auxílio emergencial, quase 25 milhões de famílias deixaram de receber ajuda contra fome. Veja aqui quantas pessoas foram excluídas em cada município e denuncie Ao acabar, ao mesmo tempo, tanto com o Bolsa Família quanto com o auxílio emergencial, o governo de Jair Bolsonaro acabou por executar […]

19 nov 2021, 14:41 Tempo de leitura: 2 minutos, 47 segundos
Mapa da Exclusão: saiba quantas pessoas Bolsonaro abandonou em sua cidade

Com o fim do Bolsa Família e do auxílio emergencial, quase 25 milhões de famílias deixaram de receber ajuda contra fome. Veja aqui quantas pessoas foram excluídas em cada município e denuncie

Imagem: site do PT.

Ao acabar, ao mesmo tempo, tanto com o Bolsa Família quanto com o auxílio emergencial, o governo de Jair Bolsonaro acabou por executar a maior exclusão social da história do Brasil. Isso porque, até outubro, 39,3 milhões de benefícios eram pagos por meio dos dois programas. Agora, em novembro, entrou no lugar o Auxílio Brasil, que só contempla 14,5 milhões. Ou seja, de uma hora para outra, 24,8 milhões de famílias ficaram desamparadas, conforme denunciou o Partido dos Trabalhadores na quarta-feira (17).

A denúncia do PT se baseia em dados do próprio governo federal, disponíveis no painel de monitoramento VIS Data, do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). Ali, a assessoria técnica do partido na Câmara dos Deputados conseguiu descobrir com exatidão o tamanho deste verdadeiro Mapa da Exclusão. E a análise dos dados permite acessar, além dos números de cada estado, o total de excluídos em cada município.

Para acessar esse levantamento por cidade, basta clicar no nomes dos estados abaixo e verificar as planilhas. Trata-se de um importante instrumento de denúncia do abandono que o governo de Jair Bolsonaro promove neste momento em que a fome, a alta inflação e o desemprego em níveis elevadíssimos continuam a castigar a população. Baixe a tabela do seu estado, compartilhe e divulgue os dados. A história de que o Auxílio Brasil é uma “Bolsa Família melhorada” é mais uma fake news de Bolsonaro. O Auxílio Brasil é um verdadeiro Mapa da Exclusão.

O ataque de Bolsonaro aos pobres

Bolsonaro criou o Auxílio Brasil com objetivos claramente eleitorais, para ter o que mostrar na campanha do ano que vem. Tanto que os recursos para pagar os R$ 400 por mês que prometeu só vão durar até o fim de 2022. Isso se esse dinheiro sair, pois o governo disse que ele depende da aprovação da PEC dos Precatórios. Como a PEC ainda não foi aprovada no Congresso, o governo está pagando, agora em novembro, apenas R$ 200 aos 14,5 milhões que não foram excluídos.

Para piorar, o Auxílio Brasil não é o Bolsa Família com um novo nome. Não. O programa de Bolsonaro é totalmente diferente e acaba com todos os pilares que fizeram do Bolsa Família o melhor programa de transferência de renda do mundo (leia mais sobre isso aqui). Portanto, o que o atual governo está fazendo é acabar com o Bolsa Família, que funcionou muito bem durante 18 anos, para colocar no lugar um programa feito de improviso e que só tem garantia de todos os recursos até as eleições de 2022.

Ou seja, em 2023, o povo não terá mais auxílio emergencial nem Bolsa Família nem a rede de proteção social criada pelo programa. E a parcela da população que estiver no Auxílio Brasil não saberá se continuará recebendo ajuda. É um verdadeiro ataque à parcela mais pobre da população.

Publicado no site pt.org.br